05 de novembro (Terça-Feira)
18h
Local: Hall do Bloco D, Centro de Ciências da Educação

10 MOTIVOS PARA VOCÊ VIR LOGO AQUI EM CASA
Pablo Lugones e Alexandre Rampazo
Gato Leitor

Quando esperamos ansiosos a vinda de alguém, o tempo se demora e ficamos imaginando mil coisas para fazer, falar e aprontar quando ele chegar. Neste livro, um menino espera uma companhia bem especial e constrói possibilidades incríveis para sua chegada. A cada virada de página apresenta um motivo para convencer seu convidado a vir logo em sua casa. Vamos descobrir quem está para chegar?

PASSARINHO ÀS OITO E POUCO
Jaqueline Conte
Insight

Uma mãe, um filho.
Um pássaro que faz visitas com hora marcada e deixa que pensamentos
levantem voo.
“Passarinho às oito e pouco” é uma história poética sobre cumplicidade e inspiração.

OS JORNAIS DE GERALDINE
Jaqueline Conte
Arte & Letra

Geraldine tem um hábito incomum: em seu caderninho azul, coleciona nomes que considera diferentes, selecionados do obituário do jornal.
O motivo? Quer inventar histórias para esses nomes. Só não sabe como. Até que o pai lhe propõe um projeto irresistível (e supersecreto!).
Uma história divertida, que tangencia com delicadeza a questão da morte e, sobretudo, da vida.

POLÍTICAS, PRÁTICAS EDUCATIVAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: DESAFIOS NA CONTEMPORANEIDADE
Débora Quetti Marques de Souza, Célio Rodrigues Leite, Allan Solano Souza e Rosilene de Fátima Koscianski da Silveira
EDUPE

Obra coletiva que concretiza o esforço e as tendências de pesquisa e análise de temas que têm influenciado a produção acadêmica de pesquisadores brasileiros, portugueses e moçambicanos reconhecidos na área de Educação por sua importância e pertinência.
Os textos foram organizados em três partes: Política, Planejamento e Gestão da Educação; Práticas pedagógica, currículo e formação de professores; e Tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) em educação a distância.
A educação é o eixo que aproxima os diferentes pesquisadores e seus estudos.

A BIBLIOTECA E A FORMAÇÃO DO LEITOR INFANTOJUVENIL: CONVERSA COM PAIS E PROFESSORES
Dirce Waltrick do Amarante
Iluminuras

Dirce Waltrick do Amarante retoma a sua preocupação constante com a constituição de um repertório alargado para a formação leitora de crianças e jovens a partir da constituição de uma biblioteca.
Aos mediadores a quem o livro é oferecido, pais e professores, faz-se necessário uma caminhada desejante que atravesse as fronteiras de escolhas restritas e adentre no espaço das possibilidades múltiplas do mercado editorial.
Ganham os leitores de todas as idades!

O CORVO de Edgar Allan Poe
Dirce Waltrick do Amarante
Iluminuras

“O corvo”, publicado em 1845, conta a história de um homem solitário que tenta conversar com a ave sinistra que o visita inesperadamente numa noite silenciosa.
Desta vez, porém, Dirce Waltrick do Amarante, ficcionista e especialista em literatura infantojuvenil, fez uma versão diferente, a partir do original em inglês, destinada às crianças e utilizando uma linguagem acessível a esse público, sem abrir mão, no entanto, do mistério e da ambiguidade que caraterizam o poema em inglês.
As ilustrações desta edição, inspiradas nas gravuras de Paul Gauguin e no cinema expressionista, são do poeta e artista plástico Sérgio Medeiros.

UNIFORME
Tino Freitas e Renato Moriconi
Gato Leitor

Para estar em harmonia com o ambiente em que vive, Clóvis, como um camaleão, tem que se adaptar às mais diversas situações a que é exposto ao longo da vida. Só depois de percorrer um longo caminho e enfrentar desafios é que ele descobre, enfim, sua verdadeira identidade.
Enquanto a trajetória do camaleão é contada, o leitor participa da divertida brincadeira de procurá-lo camuflado nas páginas do livro.

O REINO PERDIDO DE ODARA
Danielle Ferreira
Luva

“O Reino Perdido de Odara” é uma carta de amor às crianças negras.
Um livro que fala sobre a beleza da negritude, a força dos ancestrais e coloca Odara, uma menina que guarda eternidades no olhar como protagonista de sua própria história.
Leve, colorido, lúdico e representativo.
A descolonização do saber começa na infância.

A FLORESTA ENCANTADA
Maria Clara Francisco de Souza
UFSC

O livro conta a história de uma menina chamada Mia. Ela se sentia diferente das outras crianças, na maioria das vezes preferia ficar sozinha.
Quando as outras meninas a convidavam para brincar ela não sentia vontade, mas quando não estavam interessadas na brincadeira, ela queria ser convidada.
Um dia essa curiosa menina conheceu uma floresta que ela nem sabia que era encantada e viveu várias aventuras até voltar para casa.

O GATO E EL DIABLO de James Joyce
Tradução de Félix Medina e Ilustrações de Alisson Moraes
Katarina Kartonera, Editor Evandro Rodrigues

Tradução do conto “The Cat and the Devil”, que o escritor irlandês James Joyce escreveu especialmente para o seu neto, um garotinho de 5 anos.
Nessa tradução, adaptada para o leitor brasileiro, a trama original, que acontece numa cidadezinha da França, transfere-se para a Corrientes, na Argentina, e a partir daí, a trama ganha um tom latino-americano.

REFLEXÕES, DIÁLOGOS E PERSPECTIVAS SOBRE LITERATURA E ENSINO
Claudia Cristina Ferreira e Caio Vitor Marques Miranda
Pontes

Coletânea que situa o leitor no espaço da prática literária associada ao cotidiano escolar.
Os dez capítulos que a constituem foram escritos por professores, associados à pós-graduação, cujas pesquisas resultaram em trabalhos diretos com a literatura no campo do ensino.
Aqui há um diferencial: seus autores pesquisam e lecionam literatura, alguns no ensino fundamental e médio, outros no ensino superior.

A CASA DO MEU AVÔ
Solange Adão
Cruz e Souza

Narra as vivências e memórias de uma menina de 10 anos, muito ligada ao avô, em um cotidiano repleto de simbologias do universo afro-brasileiro.
“O livro é sobre o cuidado que ela tem com a ancestralidade da família. Ela é muito ligada ao avô e a tudo o que o avô faz e promove na comunidade, sobre o atendimento que esse babalorixá avô realiza com as pessoas.”

UM MEDO BONITO: RECONTANDO AS HISTÓRIAS DO VÔ CARLOS
José Vinicius Koscianski da Silveira
Copiart

Apresenta dez histórias curtas contadas ao neto José Vinícius no Natal de 2018.
As narrativas, distribuídas em 24 páginas, foram ilustradas com desenhos à lápis feitos pelo autor e por seus primos Abrahão e Bruno.

OLHOS DE DRAGÃO
Adair de Aguiar Neitzel e Maria Lindamir de Aguiar Barros
UNIVALI

Este é um livro de literatura infantil dedicado às crianças pequenas. Valorizando o potencial da criança, o livro inspira-se na obra do arquiteto catalão Gaudi que se utiliza da técnica do trencadís (fragmentos cerâmicos) para revestir muitas de suas produções, como a Casa Batlló, na Espanha.
Outra novidade da obra é a relação que a ilustradora fez da mansidão, leveza e tranquilidade das bolhas de sabão com os dragões, elemento fundamental na obra de Gaudi, mas que permeia também o imaginário infantil, salientando que os opostos se complementam. Esta obra se apresenta em edição bilíngue, português e inglês, oportunizando à criança a aprendizagem também de uma língua estrangeira.

DRUSKA
Adair de Aguiar Neitzel e Maria Lindamir de Aguiar Barros
UNIVALI

Dedicado às crianças pequenas, Druska é uma personagem que possui várias faces: corajosa, dócil, brava, aterrorizante, brincalhona, dominadora, amiga, entre outras, que oferece à criança muitas emoções, a aprender a lidar com seus medos e as mais diversas situações que enfrenta na vida.
Um livro que joga com as palavras, que seduz pela sua musicalidade, que instiga a criança a gostar de ler pela fruição. Apresenta-se em edição bilíngue, português e inglês, e português e francês.

A BELA E A FERA: UMA HISTÓRIA PARA JOVENS E ADULTOS
Gabrielle de Villeneuve e Tradução de Aída Carla da Cunha
Lilás

Cabe-nos advertir o leitor: nada é o que parece nesse engenhoso conto-romance, e toda memória que o leitor possui do conto está arriscada a mudar para sempre. A autora Gabrielle-Suzanne de Villeneuve nos presenteia com uma heroína avant la lettre de caráter forte, amante dos livros e das artes, em uma época em que as mulheres ainda não possuíam direito à mesma educação dispensada aos homens.
A presença feminina, aliás, é maciçamente sentida nas ações mais importantes da trama, cuja consagração se concretiza na figura da fada. A obra ainda tem muito a revelar sobre os contos de fadas de autoria feminina, eclipsados da história literária.

O MENINO DO BOLSO FURADO
Texto: Maria Helena Bazzo     Ilustradora: Tais Beltrame
Passarinho

O menino do bolso furado é uma história, para crianças, em poesia.
Seu sorriso era convite para as histórias que tirava do furo do bolso como mágicos tiram coelhos das cartolas.
Um certo dia, o nosso menino não apareceu e um olhava para o outro com interrogação!
Termino essa história de amor – por que não? – de uma forma bem lúdica inserindo uma sapa esperta, que pula para fora de uma história engraçada e misturada, e beija o menino, que acorda assustado ao se ver vestido como um príncipe encantado!

LIVRES SOMOS VERSOS
Arlyse Silva Ditter e Demétrio Panarotto

Produção literária fruto de oficina de escrita criativa organizada pelo escritor, compositor, professor Demétrio Panarotto e a professora Arlyse Silva Ditter na Confraria Literária do Colégio de Aplicação-UFSC: incentivo à leitura e ativismo cultural.

PROCURA-SE UM LEITOR: POEMAS
Arlyse Ditter, Ana Carina Baron e Isabela Melm
Projeto Gráfico: Erichk Armondes e Fran Louise

Antologia Poética fruto do projeto de extensão Procura-se um Leitor, desenvolvido no Colégio de Aplicação da UFSC e coordenado pela professora Arlyse Silva Ditter.

O LUMINOSO VÔO DAS PALAVRAS
Mauro Brito

Livro de poemas do escritor moçambicano Mauro Brito. “Talvez nunca seja tarde para mergulhar no leito das palavras, dos versos, das rimas e de tudo aquilo que satisfaz o bem-estar da alma no seu sentido mais amplo e profundo quando se trata da palavra. Talvez não mais haja tempo para socorrer o sonho, o som e a intensidade”.

O COMBOIO QUE ANDAVA DE CHINELOS
Pedro Pereira Lopes – Ilustrador Walter Zand

Os poemas para a infância do Pedro são carregados da necessária e fundamental magia que todo o poema deve conter, para um destino de encantatórias imaginações de quem lê, escuta e torna suas as emoções que a plasticidade musical e seus ritmos, as metáforas e as imagens lhe sugerem.

06 de novembro (Quarta-Feira)
18h
Local: Hall do Bloco D, Centro de Ciências da Educação

OS ENCANTADORES DE HISTÓRIAS: SOBRE PRÁTICAS ORAIS, MEMÓRIA E ARTE NARRATIVA
Ilsa do Carmo Vieira Goulart e Dalva de Souza Lobo
Pedro e João

Trata-se de uma coletânea de textos que discutem sobre arte da contação de histórias.
A obra reflete que a arte de contar é a arte de contar de novo. Esperamos que nesta obra possamos recontar nossas experiências, redescobrindo nelas, histórias ancestrais e quiçá futuras, não apenas em função das novas mídias e suportes, mas, talvez, pelo nosso inacabamento como sujeitos de nossa narrativa e pelo que nos afirma em nossa humanidade, a saber, nosso desejo de encontrar formas de nos dizer e de preservar o diálogo entre a tradição e a inovação.
Que a cada reflexão, a cada tema abordado da obra, possa servir de motivação ao leitor para que outras tantas histórias sejam contadas.

LER E CONTAR HISTÓRIAS: DAS EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS ÀS VIVÊNCIAS PEDAGÓGICAS
Ilsa do Carmo Vieira Goulart
Gato Leitor

Os 14 artigos discutem que arte da contação de histórias se compõem de ações, atuações e interações entre o narrador, a narrativa e o seu público. Intercaladas entre silêncio ou musicalidade, as palavras são desenroladas em tonicidade, em tonalidades e em timbres diferenciados, compondo expressões, gestos, movimentos que são, em conjunto, pensados, ordenados e orquestrados por um narrador para obter o mais valoroso dos prêmios: o olhar atento e inebriado dos ouvintes.

A LITERATURA INFANTIL ALÉM DO LIVRO
Lígia Menna
Bonecker

Em uma perspectiva histórica e comparatista, a obra demonstra como a literatura infantil foi construída além do suporte livro, levando em conta diferentes concepções de infância, tendências pedagógicas e a própria materialidade dos textos.
No contexto da década de 1930, destaca-se a importante contribuição do jornal português O senhor doutor e da revista brasileira O Tico-Tico para a formação de leitores, assim como para a educação informal e a história da Literatura Infantil.

AFETIVIDADE E SUBJETIVIDADE NA INTERPRETAÇÃO EDUCACIONAL
Neiva de Aquino Albres
Ayvu

Deixe-se encantar por este livro que problematiza as amarras do intérprete educacional em padrões de neutralidade e fidelidade, generalizando ações em condições que requerem nada mais do que um olhar para o singular lugar do ato.
Ressignifique suas concepções sobre os intérpretes educacionais, profissionais situados em interações específicas, sujeitos reais e marcados historicamente.

LETRAMENTO LITERÁRIO NA ESCOLA: A POESIA NA SALA DE AULA
Djalma Barboza Enes Filho
Appris

Apresenta um caminho teórico-metodológico para trabalhar, significativamente, com poesia na sala de aula e, ao fazê-lo, além de contribuir com a prática docente, torna perceptíveis alguns pontos caros à educação e ao ensino de literatura: há a necessidade de que professores dominem alguns aspectos da teoria da literatura para aplica-los em sala de aula.

DONA BENTA: UMA MEDIADORA NO MUNDO DA LEITURA
Patrícia A. Beraldo Romano
Appris

O texto apresenta um estudo sobre a personagem Dona Benta, da obra infantil de Monteiro Lobato, como mediadora de leitura ao longo de todos os textos infantis do autor, mas com ênfase em “Geografia de Dona Benta” e “Dom Quixote das Crianças”.

AVENTURAS PASSARINHAS
Josiane Orvatich – Ilustradora Birgitte Tümmler
MercadoLivros

Esse livro apresenta três pequenas histórias, independentemente entre si, mas que podem ser costuradas de muitos modos.
Os personagens principais: uma barata e duas meninas.

A LITERATURA INFANTIL E JUVENIL EM LÍNGUA ESPANHOLA: HISTÓRIA, TEORIA, ENSINO
Rosane Maria Cardoso
Pontes

O acolhimento ao convite para participar desta jornada revela um vívido interesse em pensar a LIJ, a escolarização da literatura, a leitura e as suas práticas.
Por isso, as páginas que seguem rapidamente se transformam em tessitura de diálogo entre países e culturas, em histórias sobre as histórias, em inquietações e interesses que aproximam Espanha, Peru, Paraguai, Colômbia, Guatemala, Venezuela e Brasil.

A MENINA QUE NÃO SE ENCAIXAVA
Mariana Tavares
Gafanhoto Verde-Sol

Uma menina, uma sociedade e muitas caixas. Uma fecha daqui, outra não ouve dali. Difícil caminhar, difícil pensar.
Mariana Tavares vai nos convidando a entrar no livro em um tempo de delicadeza necessário para entender o que simboliza a própria história.
A angústia se faz presente, mas é um livro-vivo: o leitor lê, sente, vê-se nele, acolhe a personagem, fecha e, quem sabe, volta a acreditar.
Opa, será que é hora de desencaixar?

CADA UM CONTA DE UM JEITO
Aline Maciel
Cia Mafagafos

Este livro pode servir como um pequeno manual para o contador de histórias iniciante ou como fonte de inspiração e reflexão para os mais experientes. Trata-se de um livro objetivo e prático que busca retratar os processos de preparação de contos populares, a partir do seu registro escrito, para a performance narrativa.
Um livro que busca estimular a imaginação e indicar novas possibilidades não só para contadores profissionais mas também para educadores, em seu trabalho com as histórias nas salas de aula e bibliotecas escolares.

BOI MALHADO, BOI DOBRADO
Sig Schaitel, Tina Merz, Luciana Bicalho
Cia Mafagafos

Inspirado no folguedo do Boi de Mamão, o livro “Boi Malhado, Boi Dobrado” narra em versos, dobras e desenhos, a história dessa festa popular tão presente na cultura do litoral catarinense.
Com personagens que tanto encantam as crianças, é justamente para elas que o livro foi feito. Concepção e texto de Sig Schaitel, design de Tina Merz, ilustração de Luciana Bicalho e produção da Cia Mafagafos. Em cada dobra uma surpresa te espera!

BOI DE MAMÃO! COMO TUDO COMEÇOU
Fábio Aurélio Castilho

O livro “Boi de Mamão como tudo começou” conta em forma de poesia o Folguedo Boi de Mamão que é uma tradição folclórica catarinense.
Com ilustrações de Lívia Pessoa, feitas em aquarela, o livro cheio de cor e rima é para crianças de todas as idades.

Para ler e brincar
Lá vem Boi-de-Mamão
E assim comemorar
Esta linda tradição

A PESQUISA NA INTERNET: AUTORIA E ESCOLA
Katia Cristina Schuhmann Zilio
Appris

O trabalho aqui relatado diz respeito à tese de doutoramento em Ciências da Linguagem e foi experienciado por alunos da educação básica e dividido com acadêmicos de licenciatura a fim de refletir o trabalho de leitura e escrita e o uso de tecnologia na escola.
Aprender a ler e a escrever são exigências para o exercício da cidadania, assim como o uso das tecnologias. Como a escola vivencia essa experiência de formar leitores e autores? Como a tecnologia pode ser aliada a essas questões tão importantes para a escola?

PEDAGOGIA DA REBELDIA E O ENLEITURAMENTO
Rosemary Lapa Oliveira
Appris

É um livro que resulta de tese de doutorado defendida em 2013 e que trata da leitura na escola enquanto prática pedagógica de resistência e de formação cidadã.
A Pedagogia da Rebeldia é norteada por relações estabelecidas nas salas de aula, guiadas pelo objetivo maior desse espaço, qual seja, a formação cidadã, privilegiando a produção de leitura como vetor do alcance de tal objetivo.

QUANDO SE LÊ A LITERATURA INFANTIL E JUVENIL, O QUE SE LÊ? COMO SE LÊ?
Diógenes Buenos Aires de Carvalho, Fabiane Verardi, Paula Fabrisia Fontinele de Sá
Bonecker

Em seus treze capítulos, este livro revela, de forma acessível e agradável, a importância da literatura na formação do jovem e da criança.
Em seus tópicos, professores, bibliotecários, pais, pesquisadores e mediadores diversos ampliam seus conceitos sobre leitura, pois percebem-na como capaz de ativar a memória, despertar empatia, promover senso crítico, criatividade e humor, além de favorecer ao leitor em formação a vivência de sentimentos, pela leitura do outro, configurado em personagens de diferentes textos – canônicos, contemporâneos, verbais, orais, imagéticos, ilustrados, adaptados, entre outros.

PICAPAUZINHOS FIUN LOBATO
UM PISCA NO FAZ-DE-CONTA DA LITERATURA INFANTIL DE MONTEIRO LOBATO USANDO O PÓ DE PIRLIMPIMPIM (FIUN)

José Miguel Silveira

É um portal onde a criança, o jovem, o adolescente, o adulto e o idoso conhecerão a vida e a obra infantil do escritor Monteiro Lobato. Escrito a oito mãos, é dividido em duas partes: a primeira apresenta uma pequena biografia do criador do sítio do pica-pau amarelo, uma discussão sobre contação de histórias e mediação de leitura e, por fim, pequenas resenhas das 23 obras infantis de Monteiro Lobato. a segunda parte são todos os primeiros capítulos originais e na íntegra dos 23 títulos infantis do referido escritor.

FORTALEZAS DA ILHA: UMA VISITA AO PASSADO
Dalânea Cristina Flôr, Luciano de Castro, Maria Carolina Beltran, Marielly Agatha Machao, Renata Calentini, Roque Lemos, Roberto Tonera, Sonia Trois
UFSC

A obra apresenta a história sobre a disputa territorial da Ilha de Santa Catarina entre portugueses e espanhóis; a ocupação da Ilha pelos portugueses; a construção, uso, abandono, reconstrução e transformação das fortalezas em museus.

AONDE VAMOS?
Yvette Pais     Ilustrações: Claudia Navarro
MercadoLivros

É de fato, um livro para todas as infâncias, que desperta curiosidade e vem resgatar o olhar da apreciação e das coisas simples da vida.
É um livro para ler e reler várias vezes. Os personagens convidam você a viajar pelo mundo da imaginação.

ANTONIETA
Eliane Debus
Copiarte

O livro Antonieta, de Eliane Debus com ilustrações de Annie Ganzala busca apresentar aos leitores (de qualquer idade) as façanhas de catarinense Antonieta de Barros.
Mulher negra, filha de pais que foram escravizados, viveu na Ilha de SC na primeira metade do século XX; foi professora, escritora Deputada Estadual, mulher de força e coragem.
O silêncio das narrativas sobre homens negros e mulheres negras deve ser quebrado, devemos fazer muito som e reverberar as histórias do protagonismo negro em SC.

ABIODUM
PET/PEDAGOGIA – CCE – UFSC

O primeiro número do Abiodum de 2019 chega em meio a uma crise na educação. O corte de verbas ameaça o funcionamento das universidades públicas, paralisa as pesquisas, coloca em cheque a vida de milhares de estudantes.
Assim, é momento de resistência! Nesta edição, falaremos de resistência, protesto, rebeldia, mas também de poesia, arte, música expressa na linguagem do hip hop.

SOFIA E A DESCOBERTA DOS NOMES
Cleber Duarte Coelho e Sofia Goulart Duarte Coelho

Cleber Duarte Coelho é natural de Florianópolis-SC. Professor de Filosofia na UFSC. Apaixonado por esportes, literatura, poesia, cinema e música. A paternidade o encaminhou para o universo da literatura infantil.
Sofia G. D. Coelho é natural de Florianópolis-SC. É desenhista, artista, pequena filósofa, jogadora de futebol. Gosta de viajar para novos lugares conhecer. Planta flores no quintal e cresce linda, plena de saúde e alegria!

O GIL E A BOLA GIRA E OUTROS POEMAS PARA BRINCAR
Celso C. Cossa

“As palavras giram como o pião do Tó, rodopiam cegas como a cabra-cega e voam alto num papagaio de papel, dançando ao som do tic-tac de um relógio, nos poemas alegres de Celso, coloridos pelo movimento imprimido pelo pincel de Luís Cardoso. Um livro que leva à brincadeira dos mais novos e faz reviver os jogos de infância dos crescidos”.

A CAPOEIRA DOS SETE PINTOS
Celso C. Cossa

“O final de uma história leva sempre ao começo de outra e entre o sono e a vigília espreitam sete pintos, uma galinha costureira, um milhafre esfaimado, uma galinha anciã, uma feiticeira esfarrapada e sete pintos ameaçados… Tudo isso misturado, como nos sonhos, num ambiente de magia e suspense”.

back to top